Notícias

Grupo Saint-Gobain mantém programa de investimentos

Este ano, apesar da piora da economia, a Saint-Gobain mantém sua estimativa de crescer 7% em faturamento em reais, no consolidado dos seus negócios do Brasil, de acordo com reportagem do Valor Econômico publicada nesta segunda-feira (30).
“Vamos fazer um esforço para que o crescimento seja até um pouco melhor. Temos uma variedade grande de negócios, uma parcela em dificuldade pode ser compensada pelas outras”, afirma o presidente da Saint-Gobain para Brasil, Argentina e Chile, Thierry Fournier.
Para o presidente global do grupo, Pierre-André de Chalendar, o grupo sempre considerou o desenvolvimento no Brasil em uma perspectiva de longo prazo.
De acordo com o Valor Econômico,  Chalendar ressalta que o Brasil é um dos países com média de crescimento mais elevada nos negócios do grupo nos últimos anos.
Para 2015, a expansão esperada para o faturamento da Saint-Gobain se dará por melhora do mix vendido e por aumento de preços.  O grupo avalia que há potencial de crescimento no Brasil, no médio e longo prazos, principalmente no setor de construção. “Atualmente,  a demanda por materiais de construção para novas obras diminuiu, mas a procura de produtos para reforma “está melhor”, segundo Fournier.
No País, o grupo atua na produção de materiais de construção pela Brasilit (telhas de fibrocimento e caixas d’água), Weber (rejuntamentos e argamassas com a marca Quartzolit), Placo do Brasil (drywall), Pam (tubos, conexões e válvulas), Isover (soluções de isolação termoacústica e em lã de vidro) e Cebrace (vidro plano).
No varejo de materiais, em que a Saint-Gobain atua por meio da Telhanorte, a projeção, de acordo com Fornier,  é ter desempenho superior ao de 2014.  A expectativa é positiva também em relação às vendas de embalagens de vidro, produzidas com a marca Verallia.
Os mercados da indústria automotiva e de óleo e gás são citados como “difíceis” pelo representante da Saint-Gobain. A empresa produz vidro automotivo pela Sekurit e, para o segmento de óleo e gás, fornece abrasivos e produtos de construção.
Para 2015,  a projeção de investimentos de R$ 550 milhões em 2015 está mantida. O valor supera em 10% os R$ 500 milhões de 2014. O grupo, que investe R$ 2,5 bilhões a cada cinco anos no Brasil, reduziu previsão de desembolsos para 2015 apenas na Weber. “Investimos muito em fábricas da Weber nos últimos anos”, diz Fournier. Uma nova linha foi inaugurada em Abreu e Lima (PE) neste ano. Há previsão de abrir três ou quatro novas lojas da Telhanorte.
Fonte: SP4 Comunicação