Notícias

Cerveja para cães e gatos conquista mercado

Lançada recentemente, a primeira cerveja exclusiva para cachorros da América Latina causa polêmica e ganha espaço no mercado. Indicada para cães adultos, a Dog Beer, produzida em Vassouras, RJ, é formulada a partir do malte e apresenta sabor de carne.
O idealizador do produto, Marcos Melo, afirma que resolveu inovar observando a variedade de anúncios de alimentos para cães. “Com tanta comida para cachorro, é capaz de o animal morrer entalado. Então, resolvi criar a cerveja para eles. Algumas pessoas que não sabiam como a cerveja é feita não gostaram da ideia no início, mas, com o tempo, viram que o produto não é igual ao do ser humano”, explica.
Segundo o empresário, a cerveja é comprada por quem bebe e quer que o cão faça companhia. Além da bebida para cachorros, Melo lançou ainda a Cat Beer, específica para gatos. A Cat Beer é oferecida em diversos sabores de carne e de acordo com a fabricante, o malte utilizado na formulação pode reduzir a incidência de cálculo renal, problema recorrente em felinos.
Faturamento
Para Marcos Melo, os produtos estão ganhando grande expansão no mercado e a expectativa de faturamento é de R$ 120 mil mensais. “Além das lojas para pets, conquistamos espaço nos supermercados e em postos de combustíveis”, afirma.
Sobre a Dog Beer
A Dog Beer é envasada em embalagem da Owens-Illinois, maior fabricante de embalagens de vidro do mundo.
Com sua postura de apoiar microcervejarias, a Owens-Illinois foi escolhida para fornecer a garrafa, que pode ser encontrada em embalagem de 355 ml e tem um design similar ao das embalagens de cerveja tradicional para humanos.
“Temos experiência em trabalhar com microcervejarias e empreendedores que estão investindo em novidades no mercado. A Dog Beer é uma inovação, por se tratar do primeiro petisco líquido em toda a América do Sul e toda inovação é sempre um desafio, mas para nós é muito gratificante saber que através de nossas embalagens e serviços damos o apoio necessário a quem pretende crescer nesse segmento”, afirma Alexandre Cardoso, gerente da categoria cervejas da O-I.
Segundo José Gonçalves Antunes, engenheiro químico chefe da equipe que desenvolveu a Dog Beer, para sua produção são necessários apenas dois tanques, enquanto para as cervejas tradicionais são usados quatro. O processo é interrompido no segundo tanque para evitar a fermentação do produto e para que não seja adicionado o CO2, nesse momento é adicionado extrato de carne.
A formulação foi desenvolvida em parceria com o Centro de Tecnologia de Alimentos e Bebidas do Senai do Rio de Janeiro, único polo de formação de mestres cervejeiros da América Latina.
Para chegar ao resultado desejado, um grupo formado por veterinários e especialistas em cerveja dedicaram três anos de estudos, com o intuito de criar uma bebida rica em nutrientes, como sais minerais, aminoácidos e vitaminas do complexo B. Uma das preocupações da equipe era fabricar um produto semelhante à cerveja consumida por humanos e que fosse nutricionalmente rica.
A cerveja pode ser encontrada em Pet Shops, Empórios, Supermercados e Lojas de Conveniência das regiões Sudeste, no estado de Goiás e DF, no sabor carne, com preço médio de R$ 9,90.
Animais acima de 4 quilos podem consumir uma garrafa por dia, enquanto aqueles abaixo desse peso podem ingerir até 1/2 garrafa, pode ser servida gelada ou na temperatura ambiente, respeitando os hábitos alimentares dos animais.
Fonte: O Dia- Portal Ig/ Owens- Illinois